X





Fiagril investe R$ 5.5 milhões para produzir biodiesel a partir de óleo de milho e algodão

Mato Grosso irá ganhar investimentos para diversificação de matérias primas na fabricação de biodiesel. Com investimentos que somam R$ 5.5 milhões, a Fiagril está apostando em alta tecnologia para reduzir a dependência do óleo de soja, que hoje é a principal matéria-prima utilizada pela indústria.

 

Para conseguir expandir a utilização de matérias primas alternativas, a empresa está investindo em processo de duplo refino do óleo de algodão e esterificação do óleo de milho. 

 

O pleito inovador partiu da necessidade de encontrar alternativas de mercado viáveis, uma vez que o preço da soja tem sofrido sucessivos aumentos, que por sua vez aumentam proporcionalmente o custo de produção do biocombustível. Como solução, a empresa investiu em tecnologia de ponta, diversificou a matriz e, consequentemente, inova no mercado de bioenergia.

 

“Foi uma solução para um problema de elevado preço da soja e uma demanda por matéria-prima que está muito acelerada. Nesse cenário, conseguimos buscar uma alternativa que mantém a qualidade do nosso produto, e a viabilidade comercial do negócio em Mato Grosso”, pontua Henrique Mazzardo, CEO da Fiagril. 

 

Todo o processo de implementação já está em curso. O plano é de que até o final de novembro deste ano, as linhas de produção utilizando óleos de milho e algodão já estejam em plena operação. Os óleos de milho e algodão já são utilizados na produção de biodiesel, porém precisavam ser misturados com o óleo de soja, formando assim o blend. Agora, eles poderão seguir por rotas de produção independentes. “Será uma via tecnológica ainda mais eficiente, limpa e sustentável, que tem o objetivo de reduzir o custo do biocombustível ao consumidor final”, finaliza Mazzardo. 

 

Mato Grosso possui o maior número de plantas de fábricas de biodiesel em operação no Brasil. Segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), são 17 unidades produtivas em operação. Uma delas, é a da Fiagril, que foi inaugurada em 2007 e inseriu o estado na rota de produção de energia sustentável. Desde então a Fiagril já produziu e comercializou mais de 1,7 bilhões de litros de biodiesel, contribuindo diretamente com a diversificação da matriz energética brasileira e com a redução de emissões de CO2. 

 

Biodiesel 

O Brasil é o segundo maior produtor de biodiesel do mundo, que é uma das melhores alternativas sustentáveis para substituir os combustíveis fósseis, que poluem as cidades e são um dos responsáveis pelas mudanças climáticas. O setor também contribui para a inclusão social com mais de 98% do volume comercializado proveniente de usinas com selo biocombustível social.   

 

Ao todo, são 49 unidades produtivas no país. Em parâmetros nacionais, a produção obteve um crescimento de 8,7% em 2020, segundo dados da ANP. O que, em termos de capacidade instalada, significa 9,4% com consumo de 6,4 bilhões de litros.   

 

Sobre a empresa 

A Fiagril atua há mais de 33 anos desde a originação de grãos, distribuição de insumos agrícolas, além da produção de biodiesel. Tem como propósito transformar vidas conectando a produção sustentável com o mundo. Atualmente conta com 21 unidades nos estados de Mato Grosso, Tocantins e Amapá.